Historial

 

Constituída em 13 de Agosto de 1993, encontra-se registada na Direção Geral da Segurança Social e reconhecida como Instituição Particular de Solidariedade Social e Pessoa Coletiva de Utilidade Pública, com carácter definitivo, desde 09 de Junho de 2000. Procurou dar resposta às necessidades concelhias de apoio às pessoas com deficiência, e respetivas famílias, que estavam privadas de apoio ou que estavam integradas em outras Instituições deslocadas geograficamente.

Após diversas iniciativas de angariação de fundos, que mobilizaram a comunidade de Mafra, contou com os apoios financeiros da Câmara Municipal de Mafra, da Comunidade Europeia e do Centro Regional de Segurança Social de Lisboa e Vale do Tejo. Fez o lançamento da primeira pedra do Centro de Educação e Reabilitação para Crianças e Jovens Deficientes no dia 9 de Março de 1996.

 

Iniciou a prestação dos seus serviços no dia 9 de Dezembro de 1997, com os 12 primeiros utentes. Ao final de 3 meses eram apoiados 88 utentes no CAO, Intervenção Precoce (IP) e do PCEI-Projeto Comunitário Escola Inclusiva (no ano de 2009, convertido CRI-Centro de Recursos para a Inclusão). Em 2012 a APERCIM apoia cerca de 400 utentes.

Com a doação de um terreno, no lugar de Picanceira de Cima é criada a Quinta da APERCIM, espaço inaugurado em 20 de Março de 2005, com o objetivo de proporcionar atividades mais diversificadas para os seus utentes, em pleno contacto com a natureza. Em 2009 é construído o Picadeiro Coberto que permite os apoios de Equitação com Fins Terapêuticos durante todo ano. Em 2012 é criado o NETA – Núcleo de Equitação Terapêutica da APERCIM

 

O CRAERIS – Centro de Recursos da APERCIM para a Educação Reabilitação e Inserção Social é construído e inaugurado no dia 7 de Dezembro de 2007. Para além da abertura de um novo CAO, alargou os horizontes da APERCIM com a abertura da CRECHE e do Lar Residencial “Comendadores Nunes Correa”, dando assim resposta a uma das principais necessidades, expressadas pelas famílias dos seus utentes, o alojamento temporário e permanente dos utentes da APERCIM, nomeadamente nas situações em que a família se mostra incapaz de assegurar os cuidados.

Sondagem